Monthly Archives

agosto 2015

rolhas cortiças
Vinhos

E se essa rolha fosse…



olá pessoal!

Estou aqui para falar sobre a rolha!

A cortiça vêm do Sobreiro, grandes árvores que demoram cerca de 25 anos para poder ser tirada as primeiras “chapas” de cortiça; E mais de 40 anos para essas chapas serem as direcionadas para as rolhas!

A rolha de cortiça (Luiz Argenta-vinho) foi a primeira das rolhas, ela  é famosa pois é preenchida por um gás parecido ao ar, assim torna a rolha impermeável a líquidos e gases, isolante de umidade e som, se adapta a diferentes temperaturas e pressão, etc… Devido ao seu alto custo, por todo o processo que ela tem, está sendo direcionada aos vinhos que precisam de mais repouso e que não precisem ser apreciados tão jovens.

Já esses vinhos mais jovens, que não pedem um tempo de descanso, e que tem alto giro, muitas vezes os vinhos brancos, verdes, rosés e alguns tintos, estão apostando em materiais que garantem custo x qualidade. Esses materiais garantem a qualidade e praticidade com a tecnologia que o mundo está vivendo.

Entre as rolhas técnicas ( não feitas de cortiça) estão as twin top, aglomerada, advantec e spark (Salton, JPChenet, San Lucia, Luiz Argenta- Espumante), no geral são feitas com chapas de cortiça, são moladas, passadas por processos que estão dentro do FDA e levadas a sua finalidade: tampar!

Há também as mais tecnológicas como as de silicone, direcionadas a vinhos de consumo rápido e geralmente brancos. São lisas e tem bem aquele aspecto do silicone que já conhecemos. Outra que geram controvérsias são os “screw caps” (Obikwa). Trazem facilidade e na hora de abrir o vinho, basta girar a rolha e abrir a garrafa, sem precisar da “parafernália”.

Espero que tenha ajudado!

Se quiserem saber mais, perguntem que respondo. 🙂

Abraços a todos.

rolhas cortiças

screw cap

e1f96ad964960d5efe8d5464649f9cd6
Beleza

Da Semente ao Óleo


Olá apaixonados por vinho!

Nem só do vinho vivemos! Pensando na nossa beleza exterior e todo o cuidado que devemos ter com o nosso corpo a marca francesa Caudalie foi além do vinho. Utilizando o mosto e tudo o que é descartado no processo de vinificação a Caudalie encontrou a matéria prima para sua marca.

Chegando a vez dos óleos corporais, e pensando em todo o cuidado que temos que ter com a nossa pele no inverno, trago a vocês o Óleo Corporal  Huile Divine.

O óleo pode ser aplicado no corpo, cabelo e rosto, garantido uma hidratação completa. Há cinco óleos vegetais na composição: uva (ômega-6), que regenera, hibisco (ácido linoleico), restaura a camada hidro lipídica e forma uma barreira limitando a perda de água, argan que é emoliente  e nutritivo, e o sésamo que é suavizante.

O óleo ainda é enriquecido com polifenóis de uva, um potente antioxidante e ainda possui um aroma floral.

Até mais apreciadores…..huile divine-Caudalie

 

 

st_vinho_queijo
Vinhos

Queijo, Vinho e Amigos!

Estive na Adega Boscato a um tempo atras e fiz essa harmonização de Queijos e Vinhos, com os vinhos deles. Essa harmonização pode ser aproveitada com os amigos ou com o seu amor, aproveitando o friozinho da Serra!

Seguem a baixo algumas  das combinações com vinhos da Adega Boscato, de Nova Pádua que fiz para vocês:

Vinho Anima Vitis (Safra 2005)

Queijo Pecorino Toscano de Ovelha cai muito bem aqui, pois o sabor persistente  do queijo casa bem com o sabor do vinho, o perfume persistente e herbáceo.

Sauvignon Blanc ( Safra 2013)

Apesar de ricota não ser um queijo, mas sim a origem do subproduto dele não faz dele menos saboroso ou ser deixado de lado nesta degustação.  O ligeiro sabor salgado, e e pouco forte da ricota combina com vinhos menos alcoólicos. Essa é uma boa combinação para um fim de tarde descontraído entre amigos ou família!

Chardonay ( Safra 2013)

Escolhi um mozzarela de búfala, uma porque amo este queijo e a leveza que ele tem, outra porque ele combina bem com um vinho com acentuada acidez e aromas frutados. Esta combinação também pode entrar para happy hour, pela sua simplicidade.

Pinot Noir ( Safra 2010)

Queijo brie, com o seu sabor doce, rico e intenso harmoniza muito bem com o pinot noir, pois este vinho quase sempre pede um queijo de vaca.

Espero que tenha ajudado vocês a criar uma ótima tábua de queijos. Variei  as origens como gado, búfala e ovelhas, pois algumas pessoas tem intolerância a lactose e acabam não podendo aproveitar as harmonizações.

Se tiverem dúvidas, entrem em contato.

Abraços!